NovasdoDia » Charges » Desemprego em alta segundo IBGE, calma que vai piorar!

Desemprego em alta segundo IBGE, calma que vai piorar!

Segundo os pessimistas de plantão, até abril está programado demissões em massa em vários setores, classe C já agoniza, o fogo do inferno só aumenta.

Segundo dados do IBGE, o desemprego ficou em 5,3% em janeiro, contra 4,3% em dezembro e 4,8% no mesmo período de 2014. A taxa ainda está em patamares historicamente baixos, mas essa alta de 1 ponto percentual significa que o número de pessoas desocupadas aumentou 22,5% no mês passado. No total, o saldo de janeiro é de um fechamento de 220 mil postos de trabalho.

caminhoneiro-dilma


    JORNAL HOJE DESEMPREGO SOBE PARA 7,6%, SEGUNDO IBGE

    JORNAL HOJE DESEMPREGO SOBE PARA 7,6%, SEGUNDO IBGE Desemprego em alta segundo IBGE, calma que vai piorar!

    A REAL TAXA DE DESEMPREGO NO BRASIL @CANALDOOTARIO

    Torne-se meu patrÃo ;-) http://www.patreon.com/canaldootario doaÇÕes http://www.canaldootario.com.br/doacoes/ acesse o site ... A REAL TAXA DE DESEMPREGO NO BRASIL @CANALDOOTARIO Desemprego em alta segundo IBGE, calma que vai piorar!

    DESEMPREGO VOLTA A SUBIR SEGUNDO DADOS DO IBGE

    De acordo com o levantamento, mais de 8 milhões de pessoas estão desempregadas em todos os setores de trabalho. DESEMPREGO VOLTA A SUBIR SEGUNDO DADOS DO IBGE Desemprego em alta segundo IBGE, calma que vai piorar!

    Tudo sobre Desemprego em alta segundo IBGE, calma que vai piorar!, vídeo, áudio, fotos, senha, como desbloquear, preço, agenda, qual melhor ponto, pelada, transmissão ao vivo e promoção.

2 Opinião e Avaliação

  1. Lucas Souto Maior

    Após determinar limites de gastos para cada ministério com custeio e investimento até abril, o governo Dilma Rousseff publicou nesta sexta-feira (27) medida provisória reduzindo o benefício fiscal da desoneração da folha de pagamento…

    Com a medida provisória desta sexta, os setores que pagavam 2% passarão a pagar 4,5% sobre o faturamento. Os que pagavam 1%, passarão a pagar 2,5%.
    A redução do benefício, que custou aos cofres públicos R$ 21,6 bilhões no ano passado, é parte da política da atual equipe econômica de apertar ainda mais o controle de gastos neste ano difícil para a economia.

    A política de desoneração da folha de pagamentos foi iniciada em 2011 e ampliada para 56 setores em 2016 e 2017 de forma definitiva, com o intuito de ajudar o fluxo de caixa das empresas e tentar manter postos de trabalho.

    Os setores atendidos pela desoneração deixaram de pagar 20% de contribuição previdenciária sobre a folha de salários e passaram a arcar com uma alíquota de 1% ou 2% sobre o faturamento bruto anual, descontada a receita de exportação.
    O aumento do imposto passa a valer a partir de 1º de junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *