Estudos anteriores já haviam comprovado que a cafeína pode causar a morte de células UV danificadas, mas não afetar as saudáveis.

O estudo foi realizado pelo Departamento de Investigação de Saúde do Governo Americano com 450,000 homens e mulheres com uma idade média de 63 anos. Há 10 anos, quando o estudo teve início, todos os pacientes eram saudáveis, contrariamente aos resultados finais, onde pelo menos 3,000 já tinham sido diagnosticados com cancer de pele.

Os pacientes que bebiam café (cerca de 90% do grupo), tinham menos probabilidade de ter a doença. Os que bebiam quatro xícaras por dia, diminuíam a probabilidade em cerca de 20%, contrariamente aos que não bebiam nada.

A análise teve em conta outros fatores que pudessem afetar o resultado, como fumar, álcool ou a quantidade de sol no local onde viviam.

Investigadores disseram que o impacto deste cancer é tão elevado, que mesmo uma pequena redução poderá fazer a diferença, apesar desta descoberta ainda ser preliminar.

No entanto, o Serviço Nacional de Saúde alerta que o ingerir quatro xícaras de café por dia poderá aumentar a pressão sanguínea e que deverá ser feito moderadamente.

Sarah Williams, da Investigação Cancerígena no Reino Unido, acrescentou ainda que “Em janeiro, o sol do Reino Unido não é forte o suficiente para causar queimaduras, mas se vai apanhar sol de inverno ou esquiar, garanta que protege a sua pele do sol quente com óculos, roupas e protetor solar.”