A Yamaha NMAX 160 será páreo para a Honda PCX 150 – Comparativo, consumo e preço

Home » Comparativo » A Yamaha NMAX 160 será páreo para a Honda PCX 150 – Comparativo, consumo e preço

download (22)

download (21)

Como lançar um scooter melhor que o Honda PCX150? Tarefa quase impossível, pois o PCX está em plena ascensão, entrando cada vez mais no gosto dos brasileiros. Vende cerca de 2 000 unidades por mês e, recentemente recebeu melhorias, que o deixou mais bonito e prático. Em outros mercados, como e europeu e o asiático, vende barbaridade, chegando a liderar a comercialização de motocicletas.

Suas qualidades superam a versatilidade de um Scooter padrão, pois além da estética agradável, é econômico, tem excelente desempenho e traz tecnologia inovadora, como o sistema idling Stop, recurso que desliga o motor quando paramos e o liga novamente apenas com o movimento do acelerador. A nova versão ganhou mais capacidade no tanque(oito litros) e tomada USB no porta luvas. Definitivamente é um produto a prova de críticas. A Yamaha tinha obrigação de fazer alguma coisa. E fez.

Está lançado no mercado brasileiro o NMAX 160. Que espantosamente tem armas suficientes para brigar em pé de igualdade com o PCX. Um filho legítimo da família de scooters MAX. O grande TMAX 530, por exemplo, é um raro scooter que pilotamos como uma moto. Sua configuração de chassi, com quadro de traves laterais de alumínio e o motor fazendo parte da estrutura faz com que a pilotagem seja bem diferenciada da maioria dos scooters. Assim é o pequeno NMAX 160, que também traz essas características apesar de o quadro ser tubular de aço.

Com apelo mais esportivo do que o PCX e visual ao melhor estilo Yamaha, as diferenças começam  logo na posição de pilotagem. Diferentemente do sccoter da Honda, onde pilotamos praticamente como se estivéssemos sentados em uma cadeira, no NMAX há mais espaço no banco, o tanque e o motor ficam exatamente entre os tornozelos do piloto, fazendo com que nossos pés fiquem mais bem encaixados se estiverem lá na frente no escudo frontal.

É possível colocar os pés no assoalho, mas o espaço é pequeno e a posição não é mais agradável. Aí está a maior surpresa do NMAX, pois, apesar da posição diferenciada, ele é exatamente ágil, há mais espaço na altura dos joelhos e o ângulo de esterço do guidão é um absurdo, chega a 50°. Difícil de acreditar, mas o NMAX é mais ágil que o PCX.

Antes de realçar sobre suas maravilhas tecnológicas e seu desempenho, não podemos deixar comentar sobre os detalhes visuais. Pelo menos aqui na motorpress, teve quem preferisse o PCX. Quem gosta de esportividade gostou dos largos pneus do scooter Yamaha, do acabamento que cobre o guidão e do painel 100% digital.

Quem prefere certo grau de luxo gosta mais do PCX, Assim como o scooter da Honda, o NMAX também traz LED no farol e na luz de freio traseira, bolha pequena e espaço em baixo do banco, porém um capacete integral só cabe se for de cabeça baixo. Todavia, o NMAX compensa por contar com disco de freio na traseira (tambor no PCX) e vir equipado com sistema ABS de série.

Na Prática

De imediato chama atenção a saúde do motor do NMAX. O PCX nos agrada por ser esperto e ter ótimo desempenho, mas o NMAX é ainda mais ágil. Equipado com quatro válvulas (duas no PCX) e um exclusivo sistema que varia o tempo de abertura das mesmas, o monocilíndrico de exatos 155,09 cm consegue e façanha de ter imediata resposta em baixa e não perder força conforme a velocidade vai aumentando.

Segundo a fábrica, é exatamente a 6 000 rpm que entra um outro tempo de abertura das válvulas. É como se o motor estivesse sempre cheio, independentemente da velocidade. Scooters não foram feitos para serem usado em velocidade máxima ou constante durante muito tempo. O câmbio CVT e a própria proposta de utilização urbana pedem acelerações e retomadas a todo instante, sempre na casa entre 20 e 80 km/h e, nessa faixa, apesar de o PCX ser esperto, o NMAX é ainda mais vigoroso.

A Yamaha declara 15 cv a 8 000 rpm e torque máximo de 1,4 kgf.m a 6 000 rpm, no nosso dinamômetro ele marcou 11,13 cv na roda com a velocidade de 90 km/h, já o PCX marcou 9,48 cv com a velocidade de 92,7 km/h. Então o NMax deve gastar mais? Errado. No mesmo trecho urbano e com o mesmo piloto, o NMAX fez 42 km/l contra 36 km/l do PCX. Com um consumo desses, os 6,6 litros do tanque são suficientes.

Yamaha NMax é sucesso na Europa e quer desbancar a Honda PCX no Brasil

Sim, o NMAX é mais esperto e mais econômico, mas o que chama mais atenção é a ótima dirigibilidade, semelhante á de uma moto. Mérito das suspensões ligeiramente mais progressivas e dos pneus gordos. O pneu traseiro tem medida 130/70-13 (100/90-14 no PCX) e na dianteira um 110/70-13 (90/90-14 no PCX). Tudo isso somado a um eficiente sistema ABS e dois discos ventilados de 230 mm. Os painéis são completamente diferentes e também causam discussão a respeito visual.

O do PCX é muito bonito, com um ponteiro de velocímetro que viaja por cima dos números, mas o do NMAX, apesar de ser monocromático, é mais rico nas informações. Ele traz hodômetros parciais, consumo médio e instantâneo, quilômetros rodados desde á última troca de óleo e hodômetro relacionado á vida da correia dentada. Além do marcador de combustível há ainda um econômetro.

Yamaha NMax 160 2016 / 2017: preço, consumo e cores

Como todos os produtos Yamaha que chegaram para incomodar um grande sucesso da Honda, a escolha vai depender mais do gosto visual do que para critérios técnicos. O NMAX pode ser um pouco mais veloz e também mais econômico, mas não acreditamos que ele roubará clientes que já possuem um PCX.

Acreditamos que há espaço para os dois no mercado. As diferenças visuais são fatores de extrema importância na decisão de compra, mas é muito mais provável um cliente fã de Yamaha roubar a liderança da Honda. Assim é com a Fazer 150 e com a CG  Titan. Mesmo contando com ABS, o Yamaha NMAX custa somente R$ 200 a mais que o Honda PCX 150.

Ui! Porém com maior rede de concessionários a Honda não teme a liderança. No final, o verdadeiro ganhador é o consumidor.

    YAMAHA NMAX 160 VALE A PENA?

    Apresentação da nova nmax 160. dúvidas, cores, comparações. https://www.facebook.com/vitormal46. YAMAHA NMAX 160 VALE A PENA? A Yamaha NMAX 160 será páreo para a Honda PCX 150 – Comparativo, consumo e preço

    COMPARAçãO YAMAHA NMAX 160 X HONDA PCX 150 2016 - MOTOREDE

    Comparativo básico entre o yamaha nmax 160 e honda pcx 150 2016! o mercado dos scooters esquentou! a yamaha acabou de anunciar a nmax 160 pra ... COMPARAçãO YAMAHA NMAX 160 X HONDA PCX 150 2016 - MOTOREDE A Yamaha NMAX 160 será páreo para a Honda PCX 150 – Comparativo, consumo e preço

    RODOLFINHO DA Z- TESTANDO YAMAHA NMAX 160

    RODOLFINHO DA Z- TESTANDO YAMAHA NMAX 160 A Yamaha NMAX 160 será páreo para a Honda PCX 150 – Comparativo, consumo e preço

    YAMAHA NMAX 160 - IMPRESSõES E TEST RIDE

    Detalhando para vocês o scooter lançamento da yamaha no brasil, o nmax 160, um scooter muito bacana para quem busca uma opção de locomoção pro dia ... YAMAHA NMAX 160 - IMPRESSõES E TEST RIDE A Yamaha NMAX 160 será páreo para a Honda PCX 150 – Comparativo, consumo e preço

    YAMAHA NMAX 160 - PRIMEIRAS IMPRESSÕES

    Uma rápida análise de minha nmax com um pouco mais de 400 km, depois de uma passeio de 250km. YAMAHA NMAX 160 - PRIMEIRAS IMPRESSÕES A Yamaha NMAX 160 será páreo para a Honda PCX 150 – Comparativo, consumo e preço

    Tudo sobre A Yamaha NMAX 160 será páreo para a Honda PCX 150 – Comparativo, consumo e preço, vídeo, áudio, fotos, senha, como desbloquear, preço, agenda, qual melhor ponto, pelada, transmissão ao vivo e promoção.

Novidades da Yamaha 2016 / 2017

    Tour Interativo Crosser coloca pequena trail da Yamaha à prova

    O Tour interativo Crosser passou por diversos tipos de terreno, partindo de Guarulhos (SP) para chegar até o Pantanal no Mato Grosso

    O post Tour Interativo Crosser coloca pequena trail da Yamaha à prova apareceu primeiro em Motonline.

    Família Yamaha MT 2017 chega com novas cores

    Sem alterações técnicas importantes, as motos da família Yamaha MT recebem apenas mudanças nas cores para 2017

    O post Família Yamaha MT 2017 chega com novas cores apareceu primeiro em Motonline.

    Yamaha Neo 125: destaque na paisagem urbana

    É um transformer? Parece um herói japonês dos quadrinhos, mas é apenas a Yamaha Neo 125, que veio para agitar o segmento de scooter

    O post Yamaha Neo 125: destaque na paisagem urbana apareceu primeiro em Motonline.

    Teste Yamaha Neo 125: boa surpresa!

    Essa não tem nada a ver com a que você conheceu; a Yamaha Neo 125 está toda remodelada, como um transformer: vira moto, vira scooter, vira cub

    O post Teste Yamaha Neo 125: boa surpresa! apareceu primeiro em Motonline.

    Acompanhe o Tour Interativo Crosser 2017

    Para celebrar o sucesso da Yamaha Crosser, a Yamaha realiza o Tour Interativo Crosser, que vai percorrer mais de 2 mil km de Guarulhos até o Pantanal

    O post Acompanhe o Tour Interativo Crosser 2017 apareceu primeiro em Motonline.

    Yamaha Crosser 2017 traz poucas mudanças

    Com nova cor, nova iluminação de painel e novos grafismos, a Crosser 2017 não traz qualquer mudança técnica e segue como uma boa opção on-off-road pequena

    O post Yamaha Crosser 2017 traz poucas mudanças apareceu primeiro em Motonline.

    Chegou a nova Yamaha Neo 125

    A Yamaha apresenta o scooter Neo 125, que chega em outubro acompanhado de um marketing agressivo e preço de R$7.990,00 para ganhar 40% do segmento

    O post Chegou a nova Yamaha Neo 125 apareceu primeiro em Motonline.

    Factor 150 fez 79 km com um litro de gasolina

    Dez, 20, 30, 40? Quantos quilômetros a sua moto faz com um litro de gasolina? Testar a economia da Factor 150 e bater novos recordes de consumo eram os objetivos da Yamaha ao promover o primeiro Rally da Economia. O evento ocorreu em Florianópolis (SC), nas proximidades da concessionária Geração, no último final de semana, em um circuito de um quilômetro montado especialmente […]

    O post Factor 150 fez 79 km com um litro de gasolina apareceu primeiro em Motonline.

    Factor 125i é bicombustível e tem injeção eletrônica

    A YBR Factor 125i segue os passos naturais da evolução tecnológica e passa a ser bicombustível (Blueflex) com injeção eletrônica de combustível

    O post Factor 125i é bicombustível e tem injeção eletrônica apareceu primeiro em Motonline.

    Yamaha Fazer 150: novos freios UBS em 2017

    Para oferecer mais segurança nas frenagens, Yamaha adota sistema na Fazer 150 o UBS - Unified Brake System) - semelhante ao freio combinado da concorrente

    O post Yamaha Fazer 150: novos freios UBS em 2017 apareceu primeiro em Motonline.


5 Comentários

  1. Gosto é gosto, mas esse bombera não tem muita noção, dizer que a pcx é melhor somente por causa da iluminação e start-stop é loucura. Primeiro que por conta do start a bateria da pcx custa quase mil reais sem contar o desgaste prematuro do arranque, a nmax tem um conjunto bem mais coerente e superior mecanicamente falando, além da maior economia de combustível, enfim, não tem como comparar as duas pois a nmax está muito a frente que a pcx, painel, motor, suspensão e o diferencial que é o abs e disco nas duas rodas.

  2. Vanderlei josé da Silva

    Nmax 160 com certeza.

    nmax =4 válvulas pcx =2 válvulas
    nmax = comando variável pcx= ———
    nmax = mais potencia pcx= menor potencia
    nmax = mais econômica pcx = menos econômica

    Mas a escolha é individual com certeza!!!

  3. Honda frouxo! Só o start-stop, o design, e o acertado conjunto de iluminação em led já faz valer mais a pena, ouvi dizer que a pcx tem mais final? Yamaha sempre em 2 lugar!

  4. Fiz um teste drive na NMaxx ,na Yamaha Eagle,a princípio vou citar os pontos pró,nos quais são painel digital com inúmeras funções,motor muito vigoroso ,chega facilmente a 80 km,acabamento das peças muito agradável,sistema de freios dela foi excepcional basta relar que responde com êxito ,e para finalizar a perfeição em curvas,muito estável,desvalorização menor que a rival.
    CONTRAS,motor vibra muito,suspensão extremamente dura, principalmente se comparado a sua rival,encaixe dos pés muito pequeno,pois uma saliência lá existente o empurra para fora, design agradável porém o farol faltou um toque mais arrojado ou seja esportivo como de sua rival,rabeta traseira também não agradou muito seu design,lanternas em lâmpadas e não em led.
    Enfim a motoneta ou scooter é muito prazeirosa é gostosa de pilotar ,principalmente pelo vigor do motor em retomadas é aceleração,sempre fui Honda, e tenho um consórcio da PCX 150,porém após o teste drive me apareceu diversas dúvidas ,em qual escolher,mas acho que agora vou de Yamaha.

  5. comprei pcx 2016 , muito dura nesses asfaltos emburacados,acho que a yamaha alem do abs deve ser mais macia nesses asfaltos irregulares, ate os 80 km respeitando devido amaciamento do motor, ela fez 46km\l estou satisfeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Não deixe de ver isso

img_6273.jpg

Fusion Hybrid x Jeep Compass Diesel 2017: combinam economia e requinte

  A segunda geração do Compass, lançado recentemente, chega para concorrer diretamente com o Hyundai ix35. Sua versão a diesel, no.